inicio

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A genética.

A genética

A genética das aves é bastante diversificada e, por conseqüência, extensa em seu estudo. Não raro a genética mendeliana não se aplica ao estudo dos padrões de cores nas aves, observando-se pois diversos casos em que características ligadas ao sexo e interações gênicas são o que decidem o padrão de cores.
Nos Periquitos Australianos, Agapórnis e Psitacídeos de um modo geral observa-se o fenômeno da interação gênica.
Interação gênica, como o nome sugere, ocorre quando dois ou mais genes não-alelos (genes alelos são aqueles que formam par e se situa em locais correspondentes nos cromossomos homólogos, que por sua vez são aqueles que formam par nas células somáticas - não-reprodutoras).
O verde dos Psitacídeos é produzido pela interação dos genes de dois pigmentos: amarelo e melaninas. Pode-se, então, representar o verde como AA (amarelo) MM (melaninas).
Um gene recessivo pode significar a ausência da característica; assim, existindo melanina mas faltando amarelo, tem-se o Periquito azul (aaMM). Na ausência de melanina, surge o Periquito amarelo (AAmm). Na ausência tanto de amarelo quanto de melanina surge o Periquito branco (aamm).
No cruzamento de um Periquito amarelo puro (homozigoto) com um Periquito azul puro (também homozigoto) todos os filhotes serão verdes heterozigotos (AaMm). Serão verdes (por causa do A e do M), porém portadores de genes para amarelo (a) e azul (m). Cruzando esses Periquitos verdes heterozigotos, podem ser obtidos filhotes de diversas cores, homo e heterozigotos:
Periquito fêmea (AaMm): gametas AM, Am, aM, am
Periquito macho (AaMm): gametas AM, Am, aM, am
Cruzando-os:
Cor
Genótipo
Probabilidade
1 verde
AAMM
6,25%
2 verdes/amarelo
AAMm
12,50%
2 verdes/azul
AaMM
12,50%
4 verdes/azul, amarelo/branco
AaMm
25%
1 amarelo
AAmm
6,25%
2 amarelos/branco
Aamm
12,50%
1 azul
aaMM
6,25%
2 azuis/branco
aaMm
12,50%
1 branco
aamm
6,25%
Há casos em que se observa co-dominância (mas são casos raros). Esse fenômeno ocorre em Periquitos Australianos e Agapórnis nas mutações chamadas de fator duplo ou fator escuro (por exemplo, verde-claro x verde oliva). Cruzando Periquitos verde-claros com verde-oliva, todos os filhotes serão verde-escuros. Cruzando-se dois pássaros verde-escuros, observam-se filhotes verde-claros, verde-escuros e verde olivas, na proporção de 25%, 50%, 25%, nessa ordem.
Essa regra também vale para Agapórnis quando se cruzam aves azuis e azuis celestes com malva, gerando 100% de filhotes cobalto. Cruzando-se aves cobalto, geram-se filhotes azuis (ou azuis escuros), cobalto e malva.
Pode-se dizer que verde-claro, azul-celeste, verde-oliva e malva são "homozigotos"; verde-escuro e cobalto "heterozigotos"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário